Facilitação Prática para Entender o que está Travando o Time com Estruturas Libertadoras

13 Visualizações
5 leitura mínima

Entender os obstáculos que estão impedindo o progresso de um time é crucial para desbloquear seu potencial e aumentar sua eficácia. Usando ferramentas das Estruturas Libertadoras como STAR Generative Relationships, Conversation Café e What, So What, Now What?, os facilitadores podem guiar os times a identificar, discutir e resolver os bloqueios que enfrentam. Neste blogpost, vamos explorar como essas ferramentas podem ser aplicadas na prática para diagnosticar e superar os entraves do time.

1. STAR Generative Relationships

Objetivo: Explorar e fortalecer as relações dentro do time, identificando os pontos fortes e as áreas que precisam de desenvolvimento.

Passos:

  1. Introdução ao STAR:
    • Explique que STAR significa Separação, Tensão, Atração e Resolução, e que essa estrutura ajuda a mapear e entender as dinâmicas de relacionamento no time.
  2. Mapeamento das Relações:
    • Peça aos participantes que reflitam sobre suas relações com os colegas de equipe em termos de separação (distanciamento), tensão (conflito), atração (colaboração) e resolução (solução de conflitos).
    • Cada participante deve mapear essas relações em um diagrama STAR, indicando onde sentem separação, tensão, atração e resolução.
  3. Discussão em Grupos Pequenos:
    • Forme pequenos grupos para que os participantes compartilhem suas observações e discutam as dinâmicas identificadas.
    • Encoraje a identificação de padrões e áreas comuns que necessitam de atenção.
  4. Compartilhamento em Plenária:
    • Cada grupo compartilha suas descobertas com o grupo maior.
    • Facilite uma discussão sobre as principais áreas de separação e tensão e como elas podem ser transformadas em atração e resolução.

2. Conversation Café

Objetivo: Criar um espaço seguro e aberto para discussões profundas sobre os desafios e bloqueios do time.

Passos:

  1. Preparação do Espaço:
    • Configure um ambiente acolhedor e informal, semelhante a um café, com mesas pequenas e cadeiras dispostas em círculos.
    • Explique as regras básicas do Conversation Café: falar do coração, ouvir com atenção, pausar para refletir, compartilhar a fala, contribuir com a essência e falar em primeira pessoa.
  2. Introdução ao Tema:
    • Inicie a sessão com uma pergunta provocativa ou um tema central relacionado aos desafios e bloqueios do time. Exemplo: “O que está nos impedindo de atingir nosso pleno potencial como equipe?”
  3. Rodas de Conversa:
    • Divida os participantes em grupos pequenos e peça para que discutam a pergunta inicial em rodadas, seguindo as regras do Conversation Café.
    • Cada rodada deve durar cerca de 20 minutos, permitindo uma discussão profunda e reflexiva.
  4. Rotação e Síntese:
    • Após algumas rodadas, peça aos participantes para trocarem de mesa e compartilharem os insights das discussões anteriores.
    • Continue o processo de rotação para garantir a diversidade de perspectivas.
  5. Conclusão e Ação:
    • Reúna todos os participantes para uma plenária final onde os principais insights são compartilhados.
    • Facilite a identificação de ações práticas que podem ser tomadas para superar os bloqueios discutidos.

3. What, So What, Now What?

Objetivo: Refletir sobre as experiências passadas, compreender seu significado e determinar os próximos passos.

Passos:

  1. Introdução ao What, So What, Now What?:
    • Explique que esta estrutura ajuda a refletir sobre uma situação ou experiência específica, analisar seu impacto e planejar ações futuras.
  2. Reflexão Individual:
    • Peça aos participantes para refletirem individualmente sobre uma situação ou bloqueio específico que o time está enfrentando, respondendo às perguntas: “O que aconteceu?”, “Então, o que isso significa?” e “E agora, o que faremos?”
  3. Discussão em Pares:
    • Forme pares para que os participantes compartilhem suas reflexões individuais.
    • Encoraje os pares a explorar profundamente cada uma das três perguntas.
  4. Discussão em Grupos Pequenos:
    • Os pares se unem a outros pares para formar grupos de quatro e discutir suas reflexões.
    • Cada grupo deve identificar temas comuns e ações concretas baseadas na discussão.
  5. Compartilhamento em Plenária:
    • Cada grupo compartilha suas principais conclusões e ações sugeridas com o grupo maior.
    • Facilite uma discussão sobre as ações mais viáveis e prioritize-as para implementação.

Conclusão

Utilizando as Estruturas Libertadoras STAR Generative Relationships, Conversation Café e What, So What, Now What?, facilitadores podem guiar os times na identificação e resolução dos bloqueios que impedem seu progresso. Essas ferramentas promovem a inclusão, a reflexão profunda e a ação colaborativa, permitindo que os times desbloqueiem seu potencial e alcancem seus objetivos com eficácia. Implementar essas técnicas em suas sessões de facilitação pode transformar a dinâmica do time, fortalecendo as relações, promovendo a compreensão mútua e facilitando a resolução de problemas de maneira criativa e coletiva.

Compartilhe este artigo